Bactérias e vírus na área alimentar, como combater?

As comuns intoxicações alimentares ou infeções alimentares são comuns, mas podem variar de problemas de saúde ligeiros a graves. A contaminação biológica dos alimentos ocorre devido a substâncias produzidas por organismos vivos, que inclui contaminação por bactérias, fungos, vírus ou parasitas.

Anualmente milhões de pessoas sofrem de infeções alimentares resultantes de bactérias, como a Salmonella ou E. coli. Febre, dores de cabeça, náuseas, vómitos, dores abdominais e diarreia são sintomas que resultam destas infeções. Em casos severos pode resultar até em morte.

A bactéria Listeria que pode ser encontrada em laticínios contaminados, verduras e legumes crus, carnes ou alimentos refrigerados é uma bactéria que pode representar um grave perigo para a saúde de mulheres grávidas, podendo mesmo levar à perda do feto.

Outros causadores de contaminações são os vírus, como o vírus da hepatite A, que pode causar doenças de fígado de longa duração e que está presente principalmente em frutos do mar crus ou mal cozidos, como a maioria dos outros micro organismos.

Os parasitas, também responsáveis por inúmeras intoxicações alimentares, podem contaminar através da sua entrada em contacto com água, do solo ou do contacto direto com animais contaminando o produto.

Como é que se apanham intoxicações alimentares?

Há um largo conjunto de fatores que contribuem para os indivíduos serem contaminados por vírus, bactérias, fungos ou parasitas.

  1. Má higienização das mãos. A lavagem das mãos em negócios que envolvem manipulação de alimentos é de extrema importância devido ao risco de contaminação. A correta e regular higienização das mãos deve fazer parte das práticas e normas de higiene de todos os estabelecimentos que manipulam alimentos.
  2. Falta de higienização de equipamentos e superfícies. A contaminação cruzada pode ocorrer devido á utilização de superfícies e partilha de equipamentos como facas ou tábuas de corte de diferentes alimentos. As superfícies e equipamentos devem ser rigorosamente limpos e desinfetados, principalmente os locais de preparação de alimentos crus. Pode ser utilizado um desinfetante como o Desinbac DS e depois a superfície deve ser enxaguada e limpa de novo para evitar a contaminação química.
  3. Presença de pragas. A presença de pragas no estabelecimento pode levar à contaminação de alimentos e superfícies com bactérias, vírus ou parasitas. De forma a evitar esta contaminação todos os estabelecimentos da área alimentar são obrigados a efetuar um controlo regular de pragas no seu estabelecimento por uma empresa certificada.

De acordo com a OMS existem 5 princípios básicos para evitar as contaminações:

  1. Manter regular limpeza e controlo de pragas.
  2. Separar alimentos crus de cozinhados.
  3. Cozinhar completamente os alimentos.
  4. Manter os alimentos a temperaturas seguras.
  5. Usar água e matérias-primas seguras e de qualidade.