Os sentidos dos roedores – O tato

Os bigodes são um dos principais recetores de estímulos dos roedores, as vias nervosas que conectam diretamente os bigodes com o cérebro. A área do cérebro que recebe estes estímulos é capaz de reconhecer sensações como a dor e estímulos visuais e auditivos.

Para além dos bigodes, os roedores possuem pelos-guarda, presentes ao redor das patas e nas zonas em maior contacto com as superfícies. Estes são responsáveis por continuar o trabalho de reconhecimento dos bigodes à medida que os roedores se movimentam num ambiente.

Nas patas os roedores possuem umas almofadas sensoriais altamente sensíveis a fatores como a temperatura, textura e humidade. Para além disto, estas permitem-lhes reconhecer mudanças e alterações destes fatores.

De que forma esta informação ajuda no controlo de pragas?

O tato dos roedores é um dos seus sentidos mais desenvolvidos e é essencial à sua sobrevivência. As caixas de isco podem desencadear uma resposta neofóbica reconhecendo um objeto estranho através dos seus bigodes ou almofadas das patas. Por exemplo, em ambientes com muito pó, um rato pode escapar de uma placa adesiva depois de colocar uma pata em cima dela e a reconhecer como um corpo estranho antes de a remover (sem ficar preso devido a uma grande quantidade de pó na sua almofada).

Desta forma, devem ser tidas em conta estas informações no uso de materiais uma vez que o seu material pode despertar uma resposta neofóbica. Sendo o metal mais frio e de diferente textura é mais fácil de distinguir do que o plástico ou cartão.

Conheça todas as nossas opções de controlo de roedores aqui ou caso deseje solicitar um orçamento para um serviço de controlo de pragas contacte-nos.