lagarta do pinheiro

Reações à lagarta do pinheiro: o que fazer

Durante o Outono e Inverno podemos observar os ninhos da lagarta do pinheiro no topo dos pinheiros. Estes ninhos têm um aspeto de novelo de seda, facilmente identificáveis nas copas dos pinheiros, onde as lagartas permanecem em crescimento ativo. Entre os meses de Janeiro a Abril as lagartas do pinheiro iniciam a sua procissão até ao solo para se enterrarem e darem continuidade ao seu ciclo de vida, transformando-se em pupa e por fim borboleta.

A lagarta do pinheiro apresenta o seu corpo revestido de pêlos urticantes que se vão soltando à medida que a lagarta se movimenta. Estes pêlos são compostos por uma proteína responsável pelas alergias chamada taumatopoína, e são como agulhas injetando a substância tóxica na pele ou mucosas.

Sintomas de reação aos pêlos urticantes

A picada destes pêlos poderá gerar comichão, ardor, inchado, pele avermelhada. Em caso de contacto com os olhos provavelmente sentirá comichão, ardor e inchaço. Caso sejam inalados estes pelos podem causar tosse e dificuldade respiratória.

Caso tenha estes sintomas como espirros, dificuldades respiratórias, náuseas, vómitos, sensação de desmaio ou outras manifestações associadas deve contactar a saúde 24 através do 808 24 24 24.

Mas não são apenas os humanos em perigo… O seu animal de estimação também pode ser afetado pelo contacto com os pêlos urticantes ou com a própria lagarta. Caso observe sintomas como inchaço na zona do focinho e/ou boca, danos na mucosa, vómitos, febre, fadiga ou sinais de conjuntivite, leve o seu animal ao veterinário.

Caso a sua roupa tenha estado em contacto com estes pelos, é recomendado lavar essas peças de roupa a uma temperatura alta (igual ou superior a 60º) de forma a destruir a proteína taumatopoína, que caso não seja destruída poderá causar nova reação.

Encontrou estes insetos no seu jardim? Use as cintas colantes para efetuar a sua captura e evitar a sua reprodução ou contacte-nos para o 300 076 137 ou aqui.